Encontro discute a situação da Rede de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil na Bahia

Nos dias 15 e 16 de junho, foi realizado o II Encontro Baiano de Saúde Mental Infanto Juvenil, em Salvador, pela área técnica de saúde mental da Secretaria de Saúde do Estado da Bahia (SESAB). A terapeuta ocupacional da SESAB, Itatyane Nascimento, informa que o encontro nacional foi cancelado e afirma: “Esse é um encontro de resistência! Nós precisamos nos posicionar politicamente”. 
 
Os trabalhadores da Rede de Atenção Psicossocial da Bahia presentes apontaram para a insuficiência da rede e para a situação precária dos serviços.  A psiquiatra Célia Baqueiro aponta que “a alguém serve os serviços sucateados e não é por falta de recursos financeiros. Temos uma questão muito grave de gerência nos serviços públicos”, mas acrescenta que os trabalhadores tem um papel importante e um grande potencial na organização da rede. 
 
Para o Promotor de Justiça da Infância e Juventude, Carlos Martheo, ter apenas dois Centros de Atenção Psicossocial Infanto Juvenil (CAPSia), em Salvador, é inviável para cobrir a terceira maior cidade do país. Porém, pontua que “diante de todos os problemas, existem ‘nós’. A rede funciona por nossa causa, isso é o que mais vale a pena!”.
 
 
 
 
Autor: 
Por Renata Pimentel

Comentários