I Encontro Nacional de Coletivos e Ativistas Antiproibiocionistas será realizado em Recife

Diante da violência generalizada, encarceramento em massa da juventude e da criminalização da pobreza no Brasil, a proibição da produção, comércio e consumo de algumas substâncias psicoativas tornadas ilícitas já não se sustenta mais. Os danos sociais provocados pelo modelo proibicionista fizeram emergir uma outra visão sobre os reais riscos que essas substâncias causam: a própria criminalização das drogas.

O Movimento Antiprobicionista Nacioanal representado pela Rede Nacional de Coletivos e Ativistas Antiproibicionistas (RENCA), luta pela legalização de todas as drogas, em especial a maconha, já que se destaca pelo Movimento Mundial pela Legalização da planta, ganhando adeptos e simpatizantes a cada ano no Brasil desde 2006. Neste sentido, a RENCA, que se propõe como Rede de Articulação permanente pela reforma da política de drogas, é formada por coletivos, ativistas, movimentos sociais, profissionais liberais, pesquisadoras/es, cientistas e usuárias/os de drogas, está realizando o I Encontro Nacional de Coletivos e Ativistas Antiproibiocionistas - ENCAA, com o propósito de ofertar formação para as/os ativistas de todo país, e a partir dessa formação que é mútua construir um projeto de lei de inciativa popular, para assim disputarmos a sociedade brasileira com um modelo antiproibicionista, como alternativa para a solução dos reais problemas gerados pela proibição.

O Encontro vai fortalecer as redes de ativistas de todo Brasil, construindo alianças e ações unificadas com outros Movimentos Sociais que pautem o fim das opressões, a exemplo do Movimento Feminista, os Movimentos Rurais e Urbanos, o movimento LGBTT, o Movimento Negro, de Juventude. Percebemos que é necessário que todas essas populações que sofrem diariamente com a criminalização de sua cultura através do modelo proibicionista protagonizem o processo de reforma da política de drogas, afinal essa política proibicionista implementada e defendida pela classe dominante, tem por objetivo único de controlar as vidas e corpos das classes trabalhadoras. A causa antiproibicionista pertence a todas/os, a legalização das drogas é necessária para garantir os direitos dos/as usuários e usuárias em usarem seus próprios corpos, mas principalmente para diminuir a violência, a corrupção, o encarceramento em massa e o genocídio do povo negro, pobre e jovem.

O ENCAA será realizado entre os dias 24 a 26 de junho de 2016 na cidade de Recife-Pernambuco. Contaremos com a presença de diversos coletivos, ativistas, profissionais (saúde/educação/segurança/assistência) sindicatos, comunidade acadêmica, autoridades políticas e quaisquer cidadãos/as interessados/as em participar, apoiar e construir esse encontro que já se torna histórico em sua mobilização. Já temos confirmados em nossa programação o Julio Calzada do Uruguai que apresentará o projeto político de legalização do Uruguai e uma videoconferência com o Professor Boaventura Souza Santos, diretamente de Coimbra, Portugal.

 

Autor: 
Por Luana Malheiro

Comentários