Ponto de Cidadania pede socorro!

O Ponto de Cidadania é um projeto inovador, financiado pela Superintendência de Prevenção e Acolhimento aos usuários de Drogas e Apoio Familiar (SUPRAD), vinculada à Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS), do Governo do Estado da Bahia, e era executado através do convênio com a Comunidade Cidadania e Vida (COMVIDA).

O projeto visa ofertar um serviço de promoção da saúde, cidadania e reinserção social para essas pessoas que se encontram em extrema vulnerabilidade social, em Salvador. Desde 2014, a equipe do Ponto de Cidadania desenvolve um trabalho reconhecido nacionalmentel, tendo, inclusive, modelo implantado pelo governo do Estado do Ceará. 

No entanto, no dia 31 de agosto desse ano, o projeto foi interrompido por ainda não ter sido realizado o processo de renovação do convênio. Em Nota Oficial, a Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Desenvolvimento Social (SJDHDS) informa que

Consideramos que esta parceria vem gerando um serviço de excelência, de grande relevância social, com impacto positivo na vida dos usuários e na articulação da rede de serviços locais. A SJDHDS tem, portanto, todo interesse em dar continuidade a esta iniciativa pioneira e, para tanto, abriu processo de renovação do convênio que se encerrou em 05 de agosto de 2016. Estamos, no momento, aguardando o opinativo da Procuradoria Geral do Estado, com relação a esta renovação. [...] Na oportunidade, informamos que a SJDHDS captou recurso federal para execução de dois Pontos de Cidadania e deverá iniciar processo seletivo de uma nova Entidade para execução dos Pontos de Cidadania em outubro do presente ano.

No dia 02 de setembro, profissionais da rede realizaram uma ação, na Praça Marechal Deodoro (Praça das Mãos) – Comércio, em defesa do Ponto de Cidadania. No ato, pessoas da comunidade e usuários do serviço enfatizaram a importância do trabalho realizado para a vida deles. “O Ponto de Cidadania é um ponto de referência pra gente que encontrou aqui água, ajuda, apoio, pessoas que olham pra gente [...] e eu acho um absurdo fechar e deixar a gente ‘na mão’”, disse Samuel, usuário do serviço. Entendendo a importância desse trabalho e do vínculo com as pessoas acompanhadas pelo serviço, mesmo com o projeto parado e os contêineres fechados, os profissionais decidiram continuar trabalhando no campo, acompanhando os casos, articulando a rede e ofertando acolhimento e cuidado aos usuários.

Em petição pública "Pela manutenção do Ponto de Cidadania", estudantes de Serviço Social convocam as pessoas a se posicionarem, entendendo que “a continuidade do serviço é fundamental para a construção do cuidado no ‘espaço da rua’ e assim para a garantia e redução das iniquidades na saúde da população em situação de rua” (clique aqui para assinar a petição).

 

OBS: Para visualizar as fotos da ação realizada no dia 02 de setembro, na Praça das Mãos, acesse: https://www.facebook.com/CETAD-Observa-1518101241829162/photos/?tab=albu...

 

Autor: 
Por Renata Pimentel

Comentários